Por que as mulheres lésbicas têm mais satisfação sexual do que as heterossexuais?

By 31 de julho de 2020Lute como uma garota

Publicamos uma matéria falando sobre a insatisfação sexual das mulheres e que quase 60% já fingiu orgasmos. Como a pesquisa na matéria não apresenta recorte de gênero, surgiu a dúvida entre algumas leitoras: e a mulheres lésbicas? Se enquadram nesse perfil?

Como gostamos de ouvir nossas leitoras e leitores, fomos procurar dados sobre isso e a resposta foi a melhor possível: mulheres lésbicas são mais satisfeitas no sexo que as héteros. Agora vamos entender os motivos.

Pra começar, você sabia que o clitóris tem 8 mil terminações nervosas, o dobro encontrado na glande do pênis? É esse o órgão responsável por provocar orgasmos de, em média, 20 segundos (contra os oito segundos dos homens, coitados). Mesmo com essas vantagens biológicas, as experiências sexuais femininas não estão sendo tão satisfatórias quanto poderiam.

O Instituto Kinsey, do Reino Unido, especializado em pesquisas sobre sexo, gênero e reprodução, publicou uma pesquisa que analisava as taxas de orgasmos de homens e mulheres hétero e homossexuais.

Entre as mulheres heterossexuais, foi observado que elas sentem prazer em apenas 63% das relações, enquanto mulheres lésbicas têm orgasmos em 75% das vezes. Essa discrepância, no entanto, não foi observada entre os homens: héteros dizem ter orgasmos em 86% das ocasiões, e gays, 85%.

Outro estudo do Instituto Kinsey entrevistou quase 53 mil pessoas nos Estados Unidos e obteve dados semelhantes. Segundo a pesquisa, 86% das mulheres lésbicas dizem ter orgasmos regularmente em suas relações sexuais, enquanto apenas 66% e 65% das mulheres bissexauis e heterossexuais, respectivamente, afirmam o mesmo. Entre homens heterossexuais, 95% dizem ter orgasmo em todas as relações.

Por que há essa discrepância entre o prazer de mulheres lésbicas e heterossexuais?

Para a terapeuta sexual Matty Silver, a questão “é simples”. “Mulheres lésbicas sabem onde o clitóris está e sabem o que fazem com ele para ter um orgasmo. Elas não precisam mostrar o que fazer para a sua parceira, o que quer dizer que a sua satisfação sexual é maior”, explica Silver, que diz que raramente lésbicas a procuram para ajuda-las em questões sexuais, mas sim para problemas de relacionamentos enfrentados por qualquer casal.

“Há muitos homens que acreditam que eles podem dar orgasmos às suas parceiras apenas com a penetração”, ela diz. “Isso só acontece com 20% de todas as mulheres. Frequentemente elas precisam de estimulação do clítoris ou sexo oral, para que isso ocorra. Essa é uma das razões para que mulheres heterossexauis finjam orgasmo.”

Segundo especialistas, as melhores formas de melhorar a experiência sexual são o autoconhecimento e a prática. “Absolutamente a melhor forma de melhorar a nossa vida sexual é melhorando a nossa prática da masturbação”, defende Carlin Ross, criadora de um centro de educação sexual feminista.

“Quando nós sabemos como nos dar um orgasmo, nós sabemos comunicar nossas necessidades para os nossos parceiros. Parece contra-intuitivo, mas ao melhorar a relação consigo mesma é possível melhorar a nossa relação com os outros — e a nossa satisfação sexual.”

De acordo com um estudo,, 92% das mulheres se masturbam, sendo que dois terços delas o fazem pelo menos três vezes por semana. Este número é um grande salto comparado com pesquisas anteriores: em 1979, 74% disseram se masturbar e, em 1953, apenas 62% admitiram isso.

Segundo o Instituto Kinsey, saber o que pedir durante a relação, melhorar relacionamentos, descobrir novas posições e sexo oral são algumas formas de tornar a experiência mais prazerosa para as mulheres. E isso incluí todas as mulheres, independente da orientação sexual.

da redação, com informações da Revista Galileu

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: